#MEDICALBRANDING: O paciente no centro do planejamento em saúde

humaniza1Um dos pontos fundamentais no processo de planejamento de marca em serviços de saúde está em entender que o paciente precisa estar no centro de tudo. E isso não é mera retórica: se estamos compreendendo o branding (gestão de marcas) como uma abordagem estratégica que vai além dos efeitos meramente cosméticos, todas as decisões precisam ser examinadas pela ótica do paciente: será que faz sentido para ele?

A cada passo que damos para aprimorar os serviços oferecidos, esta pergunta de e ser refeita: será que estamos gerando valor para ele? Todos os esforços de marketing e branding só fazem sentido quando amparados por este viés. Do contrário, a gestão pode se esforçar para organizar rotinas, processos de atendimento e esforços de comunicação que garantam uma excelente experiência para o paciente. Porém, corremos o risco de apontar na direções onde justamente este paciente não presta atenção ou não valoriza. Por isso, é necessário colocá-lo no centro do planejamento de serviços em saúde.

O objetivo da estratégia de branding na área médica não é impressionar ou simplesmente chamar a atenção, como se supõe ser o comportamento de uma marca tradicional  (o setor de bens de consumo, por exemplo, pode funcionar desta maneira). É preciso agregar valor de fato, construir relevância e consolidar o sentimento de confiança. Mais uma vez, chegamos a conclusão inicial: o paciente precisa estar no centro de todas as ações tomadas. O que significa que o levaremos em consideração tanto no direcionamento estratégico do serviço quanto nas decisões rotineiras.

Escute o podcast Papo de Branding no seu agregador de podcasts preferido!

Postado por Bruno Garcia

#ficaadica #medicalbranding #branding #marca #marketing #gestao #servicos #saude #medicalbrandingbr #brunogarcia